quinta-feira, 27 de março de 2008

... rio de janeiro em guerra


No campo de batalha, estado do Rio de Janeiro, dois exércitos medem forças. De um lado, os ferozes mosquitos - aedes aegypti, do outro os hospitais que pedem mais e mais médicos e enfermeiros, e que não dão conta dos casos que aparecem diariamente.
O inimigo não está para brincadeiras, e sabe que atingindo a capital pode dominar todo o estado. É verdade! O ponto crítico está a ser mesmo a Cidade Maravilhosa. A Dengue é já uma epidemia descontrolada, com 32 mil casos de infetados e 54 mortos, apenas este ano. O mais estranho e surpreendente, é que as autoridades do estado, e mesmo da nação, ainda não fizeram uso das suas forças militares, no combate a este insecto tão temido.
Enquanto prefeito César Maia e presidente Lula perdem tempo no seu tabuleiro de xadrez, definindo a estratégia de ataque ao mosquino, vão acreditando que os hospitais deem solução ao conflito. Mas estes, precisam de mais profissionais de saúde, para fazer face às centenas e centenas de casos que surgem diariamente. São filas e filas de gente desesperada; crianças frágeis e com febre, adultos revoltados com mais de 4 horas de espera. Para piorar tudo, a promessa de hospitais de campanha poderá ser cumprida apenas daqui a 3 dias. Então não há dúvidas que o número de vítimas irá aumentar.
Se por um lado, é verdade que o mosquito transmissor da dengue tem um pequeno raio de acção - só pica as pessoas nas proximidades do local onde nasceu, também e sabido que no bairro Barra da Tijuca, na cidade do Rio, houve diversos casos de dengue no condomínio de classe média, Santa Helena - o que contradiz a informação de que o mosquito prolifera apenas em bairros mais modestos.
Enquanto uns investigam e procuram a vacina tão desejada, há outros que apenas assistem o BBB sentados no seu sofá, e carecem de informação sobre métodos de prevenção, e regras de higiene pública, como por exemplo, não deixar água parada em nenhum recipiente, seja em panelas, caixas de água sem tampa, plantas ou pneus velhos.
Não é por perder uma batalha que se perde a guerra. Mas será que é desta que o Brasil aprende a dar valor a um povo informado, com capacidade de dar solução aos seus próprios problemas, e reclamar seus direitos, não só na saúde como na educação, e em muitas outras áreas? Ou vai preferindo que os mesmos continuem na ignorância de se preocuparem “apenas” com festas de carnaval e futebol?

2 comentários:

Neli disse...

Acada hora são registrados 13 novos casos de dengue no Rio de Janeiro; são 43.523 doentes este ano. Mais do que a dengue matou em toda a região sudeste no ano passado. Por que a dengue mata? Por que ela se torna grave? Por que dengue em pleno Rio de Janeiro, cidade maravilhosa? Já não deveria ter sido erradicada? Falta verba à Saúde ou a saúde tem e esta é mal administrada? Faltaria informação sobre a gravidade da doença?
Acredito sim na falta de conscientização da população e punho firme e forte de quem pode e tem as rédeas do poder em mãos. Falta na verdade, paixão pelo Brasil, paixão pela povo brasileiro. Falta nascer outros Paulos Freires que deixem marcas, que tenham orgulho de ser brasileiro. Que faça e faça tudo com o coração. Que tenham a PEDAGOGIA DO AMOR impregnada na alma.
Enquanto apenas cidadã brasileira posso fazer muito mas não posso fazer tudo. Entendo que o meu poder não está a altura de quem governa, de quem faz as leis e de quem as executa.
Percebo que o Brasil gosta de aparecer, e realmente tem aparecido, tem sido noticia, mas infelizmente os escandalos somem com o vento, se apagam como o desenho na areia depois da onda. Os brasileiros costumam esquecer do Mensalão, do roubo das ambulancias, dos dólares na cueca.. e agora dos cúmulo dos Cartões Corporativos. Será que alguns daqueles parlamentares teria coragem de usar o cartão corporativo em prol da defesa do mosquito da dengue??? Enquanto isso os numeros alarmantes de infectados e mortos aumentam diariamente, isso é pra chocar qualquer ser humano do bem e com amor a vida.
É ruim ler algo pejorativo referente ao meu país; tive uma sensação não agradável quando li a matéria do nosso amigo blogueiro. O pior é que ele tem razão. Perde-se muito tempo com o que não dá retorno, com que não é de interesse do bem comum.
Assintindo a um programa de tv ontem pela manhã, me chamou a atençao uma idéia fantástica sobre um equipamento denominado "mosquitoeiro", simples, barato e que, segundo o inventor, pode ser usado como uma arapuca de pegar o dito mosquito. Este equipamento assemelha-se com um filtro de café e pode ser fabricado em casa usando garrafas pet de refrigerante. Es armadilha atrai os mosquitos e apóseles serem capturados não conseguem sair do recipiente.
Torço pra que esta ideia seja comprovada e que alguém resolva investir nesta fabricação, quem sabe.....é uma sugestão de quem demostra estar preocupado com a atual situação, talvez seja bobagem... que seja, mas é alguém dedicado, pensando em algum tipo de solução para o problema.

Abraços!!

Ana_Ba disse...

Os números de morte aumentam a cada dia. Temos registradas 57 mortes, hoje morreram 3 crianças com suspeita da dengue, as grandes vitimas dessa epidemia são crianças.Só no estado do Rio ja ultrapassam mais de 30 mil casos. Até quando nossos governantes agirão com descasos aos problemas sociais do nosso país? é vergonhoso, humilhante, doloroso e revoltante, ver o dinheiro público indo parar em bolsos de politicos corruptos e o nosso povo clamando por socorro.