segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

... um conto de natal

As mensagens de Natal prometem (se nós deixarmos) um mundo de amor, de paz e de calma.
É o amor fraterno que reina por um curto dia de cada ano, quando as pessoas celebram, dando, repartindo, abrindo mãos e corações uns para os outros, como amostra de como as vidas dos seres humanos poderiam ser, se todos os dias fosse uma outra festa de Natal. Esta história verdadeira conta um Natal celebrado com pouquíssimo dinheiro e muito amor e imaginação.
Foi assim que uma senhora, chamada Maria Júlia contou, o que ela chamou: O Nosso Natal Mais Rico

"Quando o nosso filho Júlio tinha seis anos, atravessávamos um período de má situação financeira e só podíamos comprar o indispensável para viver. Alguns dias antes do Natal, dissemos a ele que não
poderíamos comprar presentes nas lojas, para nenhum de nós. Mas com imaginação e amor poderíamos brincar de presentear uns aos outros.
Assim, nós combinamos que cada um desenharia o presente que gostaríamos de dar aos outros da família.
A ideia agradou e a partir desse dia começamos a trabalhar em segredo com muita alegria e sorrisos
misteriosos.
Um carro verde para o pai. Uma pulseira e uns brincos para mim. Para o Júlio os presentes eram aqueles que recortávamos de algumas revistas, uma tenda de brincar de índio e uma piscina de plástico, desenhadas pelo pai. O melhor presente do pai para mim foi a nossa casa dos sonhos, pintada a aguarela, branca com janelas verdes, e imensas flores no jardim. E o pai recebeu um punhado de versos meus, inspirados nas coisas tristes e acontecimentos alegres das nossas vidas. Naturalmente não esperávamos nenhum "melhor presente" do Júlio. Mas, com gritinhos de alegria, ele entregou um
grande desenho, feito por ele, com lápis de cor, dentro da mais pura "técnica surrealista". Era, sem dúvida, um grupo de três pessoas rindo: um homem, uma mulher e um menino.
Tinham seus braços entrelaçados uns nos outros, de tal forma, que pareciam uma só pessoa.
Por baixo do desenho, ele escreveu apenas uma palavra: Nós.
Foi, sem dúvida, um Natal de Amor!"
Leonardo

2 comentários:

solange b. disse...

uma historia verdadeira, mas que
retrata o verdadeiro significado do natal, mais importante o convivio em familia, do que todos os bens materiais.
as pessoas estao tao materialistas que o verdadeiro espirito do natal ja se perdeu... tal como me disse a minha filha que esta longe de mim..
nao sao das prendas que ela sente mais falta mas sim do convivio em familia..
as vezes sao esses momentos que marcam mais, o bom é q se nao se podem passar nos dias marcados no calendario, sempre podemos recriar o natal em qualquer altura do ano, nao é verdade que o natal é quando o homem quer???
beijos

Anónimo disse...

Se as pessoas cumprissem com o que prometem nas mensagens de Natal tudo seria perfeito, mas a realidade da vida é bem diferente! No entanto há pessoas que de forma muito simples e com muita entrega e dedicação fazem alguém feliz não apenas por um dia ou uma noite mas por muitos e muitos momentos. Em 2004 estive no LNSF em Coimbra e vivi um Natal que me marcou e que nunca me esquecerei, durante a semana visitei crianças numa Instituição e contactei de perto com a falta de afecto, a solidão em que vivem! Então, juntamente com as freiras do LNSF fui comprar presentes para elas.....fizemos uma festa de Natal no LNSF.......com elas...e não faltou amor. Elas adoraram e ainda hoje me lembro do que algumas dessas crianças me pediram "Tu tens uma casa grande?", gosto de ti"!.......
Estas crianças ofereceram-me desenhos que ainda hoje guardo com muito carinho.......
é simples, basta agir e o Natal pode ser apenas dar um sorriso a alguém, não precisamos de prendas materias, luxos para quê? Já temos tanto conforto em nossas casas...basta olharmos para o lado que há alguém a precisar de nós. Se fosse possível tinha levado todas essas crianças comigo para casa............claro que sim!---------------------------------------Nas muitas viagens que faço a Lisboa vejo mendigos, pessoas idosas abandonadas......corro para casa e penso....como queria tanto ajudá-las...
Já pesaram na quantidade de idosos que são abandonados agora nesta época natalícia? Nem quero pensar!
A mensagem que quero passar é que de facto há crise...mas a maior crise que vejo é a crise de valores e atitudes...haja mais amor e carinho...mas sobretudo respeito.........e o Natal seria perfeito com simples gestos e dando valor às pequenas coisas...como um simples desenho.

bj

Rita Mendes


gostei muito deste conto de Natal, belo exemplo