sábado, 22 de novembro de 2008

... para quem não sabe, tautologia é...


...o termo usado para definir um dos vícios de linguagem no qual, quase todos já caímos. Consiste na repetição de uma ideia, de maneira viciada, com palavras diferentes, mas com o mesmo sentido. O exemplo clássico é o famoso 'subir para cima' ou o 'descer para baixo'. Mas há outros, como vocês podem ver na lista seguinte:

- elo de ligação
- acabamento final

- certeza absoluta

- quantia exacta

- nos dias 8, 9 e 10, inclusive

- juntamente com
- expressamente proibido

- em duas metades iguais

- sintomas indicativos

- há anos atrás

- vereador da cidade
- outra alternativa

- detalhe
minucioso
- a razão é porque
- anexo junto à carta

- de sua livre escolha

- todos foram unânimes
- conviver junto

- facto real

- encarar de frente

- multidão de pessoas
- amanhecer o dia

- criação nova

- retornar de novo
- empréstimo temporário

- surpresa inesperada

- escolha opcional

- planear antecipadamente

- abertura inaugural

- continua a permanecer

- a última versão definitiva

- possivelmente poderá ocorrer

- comparecer em pessoa

- gritar bem alto

- propriedade característica

- demasiadamente excessivo
- a seu critério pessoal

- exceder em muito

Notem que todas essas repetições são dispensáveis. Por exemplo, 'surpresa inesperada'... Existe alguma surpresa esperada? É óbvio que não. Devemos evitar o uso das repetições desnecessárias. Fiquem atentos às expressões que utilizam no seu dia-a-dia. Verifiquem se não estão a cair nessa armadilha.

(este post foi cedido pela minha amiga e editora do jornal "Agora", Emmy Louise, de Penedo/Rio de Janeiro)


2 comentários:

The New Bridget Jones 2009 disse...

"Subir pra cima... descer para baixo!" São Clássicos ! Isso me lembra uma apresentação no Programa do Jô feito pela trupe "Os melhores do mundo" intitulado como O Assalto.
Vale a pena dar uma olhada.
http://www.youtube.com/watch?v=HXdEylfP1Cs

dá uma olhada no link... faz morrir de rir.

Beijokkz da Floresta

M∆ğΐ∆ disse...

Um pouquinho de tautologia não faz mal a ninguém. Eu gosto de usar muitas dessas expressões, não todas...